Sou Designer e também sou Arquiteto… de Informação! – Da AI à Folksonomia

abril 4, 2008 at 4:56 pm 1 comentário

Projetar um site e suas páginas de forma lógica, elaborar seu conceito gráfico e redigir textos com coberturas jornalísticas de assuntos relevantes é uma tarefa árdua, porém recompensadora. Tudo isso, e mais um pouco, damos o nome de Arquitetura de Informação.

Em outros termos, a Arquitetura de Informação estrutura as informações do produto web unindo basicamente, três campos imprescindíveis à sua produção: a tecnologia, o design e o conteúdo (textual e/ou imagético).

Quando utilizo a expressão “projetar um site”, quero apenas exemplificar um produto final que pode ser produzido de maneiras diversas, conforme sua necessidade e seu dever a cumprir. Esses produtos podem ir de uma home page a portais colaborativos, intranet e extranet, portais de notícias, comunidades de compartilhamento de vídeo, portais de turismo, blogs, portifólios, hotsites, comunidades virtuais, etc.

Há alguns anos (vide fase mesozóica da produção web), os sites eram produzidos de uma forma pouco ou nada maleáveis, e era necessária apenas uma pessoa para cuidar de todos seus elementos. Essa pessoa era conhecida como Webmaster. Atualmente, esse termo caiu em desuso, assim como esta “profissão”, visto que cada vez mais estudamos e aprendemos uma forma melhor e ideal de se fazer Web, criamos campos de estudos específicos e temos vários profissionais especializados para cuidar de cada etapa do processo em busca da experiência perfeita.

Por volta do ano 2000, logo após o “boom da internet”, chegamos a um conceito de Web dinâmica, denominada Web 2.0.

No caso de um Produto Web 2.0, uma das características mais marcantes é a união simbiótica (graças ao design de interação), entre esses três campos da AI – tecnologia, design e conteúdo – com a participação do usuário, oferecendo total maleabilidade e formas de se explorar a desestruturação estruturada da mente humana, que encontra ligações imagéticas sobrepondo quadros ao criar abordagens inter-relacionáveis para cada assunto abordado, alterando e compartilhando entre mais de uma personagem envolvida na experiência (indivíduo x máquina, indivíduo x indivíduos).

A folksonomia é um dos exemplos desta desestruturação estruturada. Ela nada mais é do que a classificação de assuntos diversos feita por pessoas diversas. Um exemplo é a “Nuvem de tags” que ao pesquisarmos por uma das palavras-chave criadas e utilizadas pelos usuários na web, encontramos assuntos tão diversos e desestruturados entre si, unidos pelo seu assunto global.

Gosto de classificar as TAGS pela sua encontrabilidade “comum” “incomum” ou “neologística”. Pode-se utilizar uma tag como “tutorial” ou “tutoriais” para disponibilizar um tutorial ou grupos de tutoriais, cursos ou apostilas. Neste caso, estamos utilizando uma tag comum e outra incomum (sim, um “S” pode fazer a diferênça).

No caso de uma tag “neologística”, é quando literalmente criamos uma palavra para classificar um assunto, como “queima-mufa”. Mas devemos ter muito cuidado para não cometer o erro de utilizar uma tag “errada” ou “incomum” para nomear um assunto, pois isso pode ser a diferença entre ser notado e passar despercebido, graças a uma baixa encontrabilidade de seu site.

Estudos de SEO podem ajudar seu site (e você não imagina o quanto!), a se tornar eficiente, relevante e com uma boa encontrabilidade, mas isso eu vou tratar em outra ocasião.

Anúncios

Entry filed under: artigo, design, tecnologia, webdesign. Tags: , , , , , , .

RIOFAN é Fantástico! E tem Mojica de brinde! Como está a marca de sua empresa na web?

1 Comentário Add your own

  • 1. Phil Souza  |  maio 2, 2008 às 9:55 pm

    Acho bem engraçado esse conceito de desestruturação estruturada, talvez por que seja verdade. Ficou muito bom esse texto, coloca sues textos no rec6 edy, daria muito mais visibilidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Regra Básica
siga-me!

comentários recentes

tales manssano peres em 4 maneiras de se matar
Ray em 4 maneiras de se matar
Matheus Zardo em 4 maneiras de se matar
alguem que se odeia em 4 maneiras de se matar

RSS twitter: siga-me

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

arquivo

exposições luminosas

DSC00745

Mais fotos

mictório

  • 298,857 urinaram aqui

%d blogueiros gostam disto: